CIRCULAÇÃO E UTILIZAÇÃO DE OBRAS EM MARFIM NA IMAGINÁRIA DO BRASIL COLÔNIA

Estudo de caso da Pietá de Mestre Piranga

  • Dener Antônio Chaves
  • Yacy-Ara Froner
Palavras-chave: Obras em marfim, Mestre Piranga, Nossa Senhora da Piedade

Resumo

Esse estudo visa discutir a utilização de imagens de pequeno porte em marfim para a confecção de escultura de vulto em madeira policromada no século XVIII e XIX. Para isso, buscou-se compreender os detalhes de uma escultura peculiar atribuída a Mestre Piranga - artífice que atuou no século XVIII em Minas Gerais e cuja autoria de produção foi definida por meio de padrões estilísticos - sob a guarda do Museu Mineiro, através dos problemas e soluções encontrados pelo autor. A formatação estética da obra mostrou o caminho metodológico para sua análise, considerando a possibilidade de comparação com outras obras, assim como as pesquisas bibliográficas sobre a imaginária, comércio e inventários posmortem do período. As coincidências quanto às características das obras encontradas, os estudos sobre o comércio do período, a circulação e a posse de obras em marfim em Piranga, consolidam a possibilidade de as obras em marfim servirem como modelo a outras esculturas em madeira, notadamente as representações de Nossa Senhora da Piedade de Mestre Piranga.

Biografia do Autor

Dener Antônio Chaves

Doutorando em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável EBA/UFMG.

Yacy-Ara Froner

Graduada em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (1988),

mestre em História Social pela Universidade de São Paulo (1994) e

doutora em História Econômica, (Patrimônio Cultural), pela Universidade de São Paulo (2001), professora da EBA/UFMG.

Publicado
2021-01-11
Seção
MATERIAIS E TÉCNICAS