AS IMAGENS DE VESTIR DO SANTUÁRIO DA SANTA CRUZ DO MONTE SANTO, BAHIA, E SUA DRAMATURGIA SACRA

  • Jadilson Pimentel dos Santos
Palavras-chave: Santuário da Santa Cruz do Monte Santo, Imagens de vestir

Resumo

A vila do Monte Santo, fundada no século XVIII pelo missionário capuchinho Apolônio de Todi, foi transformada em cidade mística, devido à grande montanha com seu Santuário da Santa Cruz, seus Passos, Dores e relíquias, e principalmente pelo seu conjunto de imagens de vestir. Estas últimas foram responsáveis, em grande parte, pela propagação, manutenção e consolidação do catolicismo popular em um dos rincões mais áridos do Nordeste da Bahia. O conjunto dessas imagens: Senhor dos Passos, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora da Soledade, São João Evangelista e o Cristo Morto, representa, principalmente, na Semana Santa, a apoteose da fé, além de evocar as reminiscências de um barroco caboclo recheado de hibridismos e contaminações populares. Esse conjunto de imagens tornou-se tão importante na divulgação da fé católica, que a vila, há mais de dois séculos, atrai romeiros de diversas partes do Brasil, sendo, as imagens, a “menina dos olhos” dos romeiros e da comunidade local. Tamanha relação fez com que essas obras também despertassem a fúria iconoclasta de alguns segmentos da população local, fazendo com que duas delas fossem quase que totalmente arrasadas, no ano de 2003. Tal fato provocou indignação popular e fez circular matérias jornalísticas em veículos de comunicação do país que afirmavam que elas haviam passado incólumes pela Guerra de Canudos, pelos ataques da Coluna Prestes nos anos 20, pelas correrias do bando do Lampião uma década após, mas não resistiriam aos conflitos do século XXI. Baseado em fotografias, documentos de cronistas, cartas e dissertações, este trabalho intenta analisar as imagens de vestir do Monte Santo de modo a revelar e divulgar esse patrimônio artístico-religioso que se encontra cada vez mais ameaçado, bem como esquecido de estudos mais aprofundados, pois este é um tema imprescindível para recontar a memória religiosa dos monte-santenses, bem como de suas romarias que já foram tão importantes para esse povoamento que tem sua história inscrita no antigo processo de ocupação do solo brasileiro. 

Biografia do Autor

Jadilson Pimentel dos Santos

Doutor em Teoria da Arte pela Universidade Estadual de Campinas e Mestre em História da Arte pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Professor do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia. 

Publicado
2021-01-11
Seção
ASPECTOS HISTÓRICOS