AS VIRTUDES DO ENTALHADOR FRANCISCO XAVIER DE BRITO NA DECORAÇÃO DA CAPELA-MOR DA MATRIZ DO PILAR EM OURO PRETO E OS FUNERAIS DE D. JOÃO V

  • Célio Macedo Alves
Palavras-chave: Arte Barroca, Escultura, Virtudes, Mausoléu, Francisco Xavier de Brito

Resumo

Em 1746 o entalhador português Francisco Xavier de Brito ajusta com a Irmandade do Santíssimo Sacramento as obras de decoração da capela-mor da igreja de Nossa Senhora do Pilar de Ouro Preto. Trata-se de uma obra de fôlego, na qual o artista irá trabalhar até sua morte ocorrida na véspera de Natal do ano de 1751. No decorrer da obra, o artista é requisitado para elaborar e fazer o mausoléu em honra à memória do Rei D. João V, falecido em julho de 1750. A partir
dessas constatações, pretendemos refletir sobre a atuação do artista nas obras da igreja, em especial sobre as interferências ou não que poderiam ter ocorrido na decoração da capela-mor após a desmontagem do mausoléu, com o aproveitamento de figuras utilizadas neste monumento fúnebre, entre as quais as das sete Virtudes que hoje se situam nas paredes laterais, acima das tribunas. 

Biografia do Autor

Célio Macedo Alves

Doutor em História pela Universidade de São Paulo (USP),

professor Adjunto do Curso de Museologia da Universidade Federal de Ouro Preto/MG. 

Publicado
2021-01-11
Seção
AUTORIAS E ATRIBUIÇÕES