A RESTAURAÇÃO DE UMA OBRA COMPLEXA:

PRESÉPIO DO PIPIRIPAU

  • Bethania Veloso
  • Thaís Carvalho
Palavras-chave: Restauração, Presépio do Pipiripau, Obra complexa, Diversidade de materiais, Interdisciplinaridade.

Resumo

O presente artigo apresenta os pontos mais relevantes sobre a restauração de uma obra complexa: o presépio do Pipiripau. Com mais de cem anos de existência e nunca antes restaurado, a obra de Raimundo Machado, com cerca de 580 peças distribuídas em 45 cenas da vida de Cristo e cotidiano de Belo Horizonte do início do século XX apresentou-se como um desafio interdisciplinar com a utilização e adaptação de técnicas tradicionais e aplicação de materiais não convencionais ao campo da Restauração pela a equipe do Cecor/UFMG e também pelos parceiros da Escola de Engenharia Elétrica e Civil/UFMG. Após três anos de trabalho integral, análises químicas e de imagens, estudos históricos e a elaboração de uma metodologia minuciosa que contemplou o tratamento de diversas tipologias de material, o Presépio do Pipiripau, obra emblemática no circuito cultural de Belo Horizonte, foi devolvido em pleno funcionamento e beleza à comunidade mineira.

Biografia do Autor

Bethania Veloso

Diretora do Centro de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis da UFMG

Ccoordenadora da restauração do Presépio do Pipiripau.

Thaís Carvalho

Restauradora de Bens Culturais Móveis

Responsável local pela restauração do Presépio do Pipiripau

Publicado
2020-08-03
Edição
Seção
CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO