A ARTE SANTEIRA PIAUIENSE:

MEMÓRIA PASSADA DE GERAÇÃO EM GERAÇÃO COMO MEMÓRIA CULTURAL

  • Zozilena de Fátima de Froz Costa
Palavras-chave: Imaginária, Arte santeira, Iconografia, Talha

Resumo

O Piauí é conhecido como o Estado da arte santeira, pois se trata de uma tradição colonial passada de gerações a gerações por meio das produções dos discípulos dos mestres pioneiros José Alves de Oliveira, mestre Dezinho (já falecido) e Expedito Antônio dos Santos, Mestre Expedito. Razão pela qual se acredita que a talha em madeira já se encontra na sua quinta geração de mestres santeiros. Os primeiros mestres santeiros formaram seus discípulos como: Mestre Dico, Dim, Costinha, Barradas, dentre outros. O objetivo geral da presente pesquisa é: analisar a iconografia da arte santeira, tendo como foco a produção da talha em madeira dos pioneiros da arte santeira no estado, as esculturas do Mestre Dezinho e do Mestre Expedito. Como objetivos específicos: discutir a importância da permanência da arte santeira como memória do povo piauiense e por extensão nordestino, bem como identificar que a religiosidade é uma das características iconográficas marcantes da cultura nordestina e brasileira. Para alcançar nossos objetivos utilizamos a metodologia descritiva e explicativa, compreendendo as seguintes etapas: levantamento bibliográfico, pesquisa de campo (entrevistas e depoimentos dos mestres santeiros) e seus discípulos; escrita da pesquisa e conclusão. Por considerar a expressiva produção da arte santeira piauiense sentimo-nos incentivados a extender nossa pesquisa.

Biografia do Autor

Zozilena de Fátima de Froz Costa

O Piauí é conhecido como o Estado da arte santeira, pois se trata de uma tradição colonial passada de gerações a gerações por meio das produções dos discípulos dos mestres pioneiros José Alves de Oliveira, mestre Dezinho (já falecido) e Expedito Antônio dos Santos, Mestre Expedito. Razão pela qual se acredita que a talha em madeira já se encontra na sua quinta geração de mestres santeiros. Os primeiros mestres santeiros formaram seus discípulos como: Mestre Dico, Dim, Costinha, Barradas, dentre outros. O objetivo geral da presente pesquisa é: analisar a iconografia da arte santeira, tendo como foco a produção da talha em madeira dos pioneiros da arte santeira no estado, as esculturas do Mestre Dezinho e do Mestre Expedito. Como objetivos específicos: discutir a importância da permanência da arte santeira como memória do povo piauiense e por extensão nordestino, bem como identificar que a religiosidade é uma das características iconográficas marcantes da cultura nordestina e brasileira. Para alcançar nossos objetivos utilizamos a metodologia descritiva e explicativa, compreendendo as seguintes etapas: levantamento bibliográfico, pesquisa de campo (entrevistas e depoimentos dos mestres santeiros) e seus discípulos; escrita da pesquisa e conclusão. Por considerar a expressiva produção da arte santeira piauiense sentimo-nos incentivados a extender nossa pesquisa.

Publicado
2020-08-03
Edição
Seção
AUTORIAS E ATRIBUIÇÕES