Iconografia da Imaculada Conceição

Novas interpretações e simbologia das ladainhas loretanas

  • Carlos A. Moreira Azevedo
Palavras-chave: Ladainha de Loreto, Árvore de Jessé, Santa Parentela

Resumo

O estudo pretende dar a conhecer como se representou em diferentes esquemas iconográficos uma ideia, verdade da fé cristã. Não se tratando de um episódio, a criatividade dos artistas e seus mentores recorreu a três tipologias essenciais. A primeira é a das metáforas bíblicas, nascidas no lirismo medieval e levadas ao auge no barroco para cantar a beleza de Maria através de símbolos, seja dos astros, dos animais e das plantas. Codificados em ladainhas, como a clássica do Loreto, e atingindo a emblemática. A segunda, através de personagens, descobrindo na ascendência de Maria e José a parentela, como na Árvore de Jessé, o que denominou a genealogia da natureza e a genealogia da graça. Finalmente, representa-se isoladamente a mulher imaculada, como visão ideal da história.

Biografia do Autor

Carlos A. Moreira Azevedo

Bispo auxiliar de Lisboa, delegado do Pontifício Conselho para a Cultura e membro da Academia Portuguesa de História. Doutor em História Eclesiástica pela Universidade Gregoriana de Roma, autor, do livro “Estudos da Iconografia Cristã”, recentemente publicado (2016), em que apresenta um conjunto de dezesseis ensaios
em torno da temática iconográfica cristã.

Publicado
2020-06-17
Edição
Seção
CONFERÊNCIAS