“Despindo as imagens”

A proposta de um método analítico para o estudo da talha do panejamento das esculturas do Acervo de Arte Sacra do Museu Solar Monjardim (VITÓRIA-ES)

  • Fuviane Galdino Moreira
Palavras-chave: Talha, Arte Sacra, Museu Solar Monjardim, Imaginária, Vestimenta

Resumo

Este artigo busca analisar o estilo e as técnicas da talha no panejamento das esculturas em madeira do Acervo de Arte Sacra do Museu Solar Monjardim do Estado do Espírito Santo. Por isso, recorro a Michel Lefftz, concordando com a ideia de que o “[...] historiador da arte que estuda uma escultura vestida deve, em dado momento, adotar o caminho do geólogo que tenta caracterizar uma paisagem, a fim de compreender sua forma e sua gênese”1. Esta pesquisa da talha enquanto estrutura, objetiva uma identificação dos tipos de dobras conforme as nomenclaturas propostas por Lefftz, chamadas de gramática do drapeado e compara essas dobras das vestes com as características físicas da superfície dos relevos, de acordo com os estudos da Geomorfologia.

Biografia do Autor

Fuviane Galdino Moreira

Doutoranda em Artes Visuais – PPGAV/UFRJ

Publicado
2015-01-01
Edição
Seção
APRESENTAÇÃO DE PÔSTERES