Análise das intervenções restaurativas, em conjunto sacro com Cristo Crucificado do Museu da cidade de Rio Grande – Coleção de Arte Sacra

  • Jennifer Cazaubon
  • Daniele Baltz da Fonseca
  • Keli Cristina Scolari
Palavras-chave: Dissociação, Crucificação de Cristo, Capacidade simbólica, Repintura, Teoria da restauração

Resumo

O objetivo deste artigo foi analisar e justificar através das teorias da restauração as intervenções realizadas em um conjunto sacro em madeira, da crucificação de Cristo, pertencente à coleção de Arte Sacra do Museu da cidade de Rio Grande/RS. A obra em questão, quando recebida pelo Museu, encontrava-se dissociada do conjunto de quatro tocheiros em função de sua policromia diferenciada, porém devido às semelhanças morfológicas foram realizados diversos exames a fim de comprovar a existência, de fato, deste conjunto, e após o resultado destes, foi possível constatar esta atribuição. Além da repintura, a intervenção anterior alterou drasticamente sua iconografia original, surgindo então à problemática da remoção da intervenção anterior. O trabalho foi efetuado em duas etapas, sendo elas: o detalhamento do registro documental e a apresentação dos procedimentos técnicos de intervenção da remoção da repintura e o detalhamento da análise da leitura iconológica e iconográfica da crucificação de Cristo, bem como a busca pelo embasamento teórico para dar apoio à reflexão proposta antes da realização do procedimento de intervenção. Traz como considerações principais um paralelo entre as idéias do restauro crítico de Cesare Brandi e a teoria contemporânea da restauração de Salvador Muñoz Viñas, de forma a concluir que a capacidade simbólica envolvida na obra de arte em questão e toda a sua atribuição de valor enquanto objeto sacro de museu, assim como a dissociação da obra do restante do conjunto, no caso em questão apresentou- se muito mais relevante que a premissa da mínima intervenção. A tomada de decisão é amplamente discutida ao passo em que se traça uma analogia entre as teorias mais recorrentes, aplicadas aos bens culturais móveis. O ponto de vista diferente destes autores possibilitou uma ampla reflexão sobre a problemática, enriquecendo assim os argumentos utilizados no decorrer deste artigo.

Biografia do Autor

Jennifer Cazaubon

Bacharel em Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis pela UFPEL

Daniele Baltz da Fonseca

mestre em Arquitetura e Urbanismo com ênfase em Conservação e Restauro de Monumentos pela UFBA

Keli Cristina Scolari

mestre em Memória Social e Patrimônio Cultural pela UFPEL

Publicado
2015-01-01
Edição
Seção
APRESENTAÇÃO DE PÔSTERES