Editora UFMG e Ieat lançam e-book gratuito sobre “figuras da experiência”

Texto: Assessoria de Comunicação do Instituto de Estudos Avançados Transdisciplinares (IEAT) da UFMG

A Editora UFMG e o Instituto de Estudos Avançados Transdisciplinares (Ieat) acabam de publicar o e-book Figuras da experiência, que reúne artigos sobre a experiência artística de pesquisadores que participaram dos dois colóquios organizados em 2015 e 2016 pelo Bureau de Estudos sobre a Imagem e o Tempo (BE-IT), grupo de pesquisa da Escola de Belas Artes (EBA). O livro, que reúne a contribuição acadêmica de 21 artistas pesquisadores da própria UFMG e de outras instituições brasileiras e estrangeiras, pode ser baixado gratuitamente no site da Editora.

Os textos do livro apresentam um panorama diverso do que a arte abraça: a teoria da arte e os processos artísticos e suas narrativas, as relações com a psicanálise, os movimentos artísticos históricos, a análise dos comportamentos e ações dos artistas, as intrincadas relações da história com a imagem, a situação dos artistas diante da política e do ativismo, o olhar de um historiador sobre um artista e o olhar de um artista sobre outro, a crítica e a teoria da arte. “Naqueles dias de intensa comunhão, estudantes, pesquisadores e ouvintes se dedicaram a uma atenta escuta e a uma franca interrogação sobre o lugar da arte nos dias de hoje”, diz a sinopse do livro no site da Editora UFMG.

Responsável pela organização do volume, a professora Patricia Franca-Huchet, da Escola de Belas-Artes, responde a duas perguntas sobre a obra.

Em que sentido o conceito de experiência é discutido no livro, no que diz respeito à sua relação com a arte?

A experiência envolve vários conceitos correlatos: a memória, o esquecimento, a história, o tempo, a liberdade, a obediência, a tradição, a autoridade, a exemplaridade, a transgressão, a hipótese, a conservação, a invenção, a reprodução e a criação. Ela envolve as duas polaridades, a do ter e a do fazer, é um vaivém entre a autoridade e a descoberta. Ela é uma espécie de imagem crítica e dialética, no sentido de que as descrições e as análises dos processos experimentais são maneiras de firmar as experiências. Um processo artístico ou experimental bem descrito e analisado é capaz de se tornar uma referência, mesmo que provisória. Quando somos tocados e convencidos por um trabalho artístico, é porque ele soube explorar e contemplar as duas faces da experiência, promovendo um encontro entre produção laboratorial e método consistente.

De que forma a experiência do artista pesquisador, como um processo de investigação, se situa no tempo e na história?

Hoje podemos afirmar que a pesquisa em arte, em suas diversas manifestações, apresenta formas e ações suscetíveis de mostrar às ciências humanas interrogações e proposições ainda inexploradas. Assim, deixa transparecer um rico saber que pode consolidar investigações sobre outras ordens da natureza humana em geral. A história da arte é constituída por amplo conjunto de artistas que não teriam sido o que foram, não teriam deixado o marco que deixaram no tempo se não tivessem sido pesquisadores. O artista pesquisador é uma peça-chave na formação e na transmissão do conhecimento histórico, mas também – e sobretudo – de um conhecimento experimental que vivencia em sua prática. Hoje podemos afirmar que a pesquisa em arte, em suas diversas manifestações, apresenta formas e ações suscetíveis de mostrar às ciências humanas interrogações e proposições ainda inexploradas.

 

Livro: Figuras da experiência (e-book)

Editora UFMG

Organização: Patrícia Franca-Huchet

Gratuito / 360 páginas

Processo Seletivo Classificatório para Concessão de Afastamento para participaçãoem Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado/Doutorado, de interesse dos Servidores Técnico-Administrativos em Educação da Escola De Belas Artes da UFMG

O Diretor da Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), no uso de suas atribuições, torna público, no âmbito desta Unidade Acadêmica, o Edital do Processo Seletivo Classificatório para a Concessão de Afastamento Inicial para Participação em Programas de Pós-Graduação stricto sensu (mestrado/doutorado), para realização de estudo no exterior e dentro do país,de interesse dos servidores Técnico-Administrativos em Educação (TAE) com inicio de afastamento de servidor previsto para o ano de 2022 até o 1º semestre de 2023.

Documentos:

EDITAL Nº 1284/2022/EBA-SUP-UFMG

Anexos do Edital 1284-2022 – Concessão Afastamento TAE

PORTARIA Nº 6151, DE 01 DE AGOSTO DE 2022

Centro Cultural UFMG oferece aula aberta sobre teatro de máscaras

Texto: Assessoria de Comunicação do Centro Cultural UFMG

Na próxima terça-feira, dia 19 de julho de 2022, às 15h30, o Centro Cultural UFMG recebe a professora Bya Braga para uma aula aberta sobre os Estudos da Improvisação Cênica com o Teatro de Máscaras, em especial o teatro de máscaras italiano Commedia Dell’Arte. A atividade integra a disciplina Oficina de Improvisação I, do Curso de Graduação em Teatro da Escola de Belas Artes da UFMG. A entrada é gratuita. Classificação indicativa: livre.

Por meio dessa manifestação teatral de tradição popular do século XVI, os participantes da referida disciplina estudam desde as relações entre algumas das figuras mascaradas apresentadas – Zanni, Arlequim e Pantaleão, fazendo isso de modo crítico e com um olhar para o Brasil e o século XXI – até o sentido ampliado de artesania e de ação coletiva oferecida aos estudantes de teatro.

Nesta aula aberta serão realizadas situações cênicas de improvisação com máscaras, inspiradas na Commedia dell’Arte, bem como a apresentação desses objetos confeccionados pelos próprios alunos para a realização dos estudos. Haverá, também, uma conversa com a professora e os estudantes sobre o sentido de se estudar ainda hoje, no Brasil, o antigo teatro de máscaras.

Aula aberta: Teatro de máscaras Commedia dell’Arte no ensino da Improvisação cênica
Data: 19 de julho de 2022 | às 15h30
Local: Centro Cultural da UFMG – Sala 01 e espaço aberto em frente ao prédio. Classificação indicativa: livre
Entrada gratuita

Aula aberta: Teatro de máscaras Commedia dell’Arte no ensino da Improvisação Cênica

Texto: Bya Braga

A disciplina Oficina de Improvisação I, do Curso de Graduação em Teatro da EBA-UFMG, ministrada pela Profª Bya Braga, oferece uma aula aberta sobre os estudos da improvisação cênica com o teatro de máscaras, em especial o teatro de máscaras italiano Commedia dell’Arte.

Foto: Bya Braga
Foto: Bya Braga

“Por meio desta manifestação teatral de tradição popular do século XVI, estudamos desde as relações entre algumas das figuras mascaradas que ela apresenta (Zani, Arlequim e Pantaleão), fazendo isso de modo crítico e com um olhar para o Brasil e o século XXI, passamos pela compreensão de suas características de aproximação de uma economia da cultura com o fazer artístico cênico, e também refletimos o sentido ampliado de artesania e de ação coletiva que ela traz para estudantes e profissionais do teatro.” (Bya Braga)

Foto: Bya Braga

Nesta aula aberta, serão apresentadas, na frente do Centro Cultural da UFMG situações cênicas de improvisação com máscaras inspiradas na Commedia dell’Arte, realizadas pelos estudantes, com posterior apresentação das máscaras confeccionadas por eles próprios, com orientação de confecção/criação do Técnico Daniel Ducato (Laboratório de Cenotécnica do Departamento de Artes Cênicas da EBA), bem como uma conversa com a professora Bya Braga, o grupo de estudantes da disciplina, o técnico Daniel Ducato e monitores Letícia Alves e Ramon Frank sobre o sentido de se estudar ainda hoje, e no Brasil, este antigo teatro de máscaras.

Aula aberta: Teatro de máscaras Commedia dell’Arte no ensino da Improvisação cênica

Dias: 15/07 (sexta) no Centro Cultural da UFMG

 Horário: 15:30h

Local: Centro Cultural da UFMG – Sala 1 (e no espaço aberto em frente ao prédio)

Abertura do 54º Festival de Inverno UFMG – 18 de julho – 18h

A Pró-Reitoria de Cultura da UFMG convida o(a) senhor(a) para prestigiar a programação gratuita e presencialdo 54º Festival de Inverno UFMG: Por uma política de cultura na universidade.

Neste 54º Festival de Inverno da UFMG, iremos refletir sobre uma série de ações em curso na Universidade para a construção de uma política cultural em consonância com os avanços internos da UFMG — criação da Pró-Reitoria de Cultura e credenciamento da Fundação Rodrigo Mello Franco de Andrade como fundação de apoio — e com os movimentos em âmbito nacional de estruturação de políticas culturais nas Instituições Públicas de Ensino Superior. 

Abordaremos uma agenda em desenvolvimento, que envolve processos de mapeamento cultural na instituição, o fortalecimento de redes de parceiros, o fomento a projetos de cultura e a construção de observatórios de cultura. 

O momento crítico das IPES, agravado pelos recentes cortes de verbas, repercute em todo o evento, que faz coro em defesa da universidade pública, da ciência e do papel central da cultura na missão de nossas instituições. As ações artísticas e culturais, assim como a programação de nossos espaços culturais, são a tradução dessa política no dia a dia de nossos espaços, programas e projetos. O Festival de Inverno da UFMG, em seus mais de 50 anos de história, mantém-se profundamente sintonizado com seu tempo e os desafios do presente e do futuro. 
   
Conheça toda a programação do Festival, que acontecerá de 18 a 23 de julho, no site: www.ufmg.br/festivaldeinverno.

A solenidade de abertura oficial do Festival será no dia 18 de julho de 2022, às 18h, no Conservatório UFMG. Em seguida, haverá a mesa redonda “Mapeamento Cultural da UFMG (2019-2021): Resultados e Perspectivas futuras” e apresentação do Sarau do Conservatório UFMG.

Gostaríamos ainda de contar com seu apoio em compartilhar esse convite com servidores de sua unidade e amigos apreciadores da cultura.

 
Atenciosamente,

 
Fernando Mencarelli
Pró-Reitor de Cultura
PROCULT/UFMG
 
 
Monica Medeiros Ribeiro
Pró-Reitora Adjunta de Cultura
PROCULT/UFMG

 

Centro Cultural UFMG recebe happening cultural na quinta-feira

Texto: Assessoria do Centro Cultural UFMG

A exposição Poematéria: Arquitetura da Palavra será lugar de um happening cultural no dia 14 de julho, próxima quinta-feira, das 16h às 21h, no Centro Cultural UFMG. O evento, concebido e coordenado por Anelito de Oliveira – escritor, ensaísta, editor e professor da Faculdade de Letras da UFMG – contará com conferência, interlocuções, leituras, apresentação da Revista Digital Sphera e lançamentos de livros.

A proposta se ampara em dois vetores hermenêuticos afins de Poematéria: habitações expansivas da esfera do sensível e espaço transpandêmico. Esses vetores serão explorados por Anelito na conferência de abertura da atividade, que terá como abordagem a tensão entre matéria e metáfora que atravessa a obra de João Diniz como instigante horizonte contemporâneo.

A Revista Sphera, os livros da Coleção Atravessamentos Impossíveis e o livro O desgraçado Sr. Humano & Outros poemas anticínicos serão posicionados no evento como intercessões deleuzianas com Poematéria.

Confira a programação:

16h – Matéria/metáfora: reflexões sobre a Poematéria de João Diniz – Anelito de Oliveira

18h – Apresentação da Revista Sphera: Habitações do Encantado – Anelito de Oliveira

18h30 – Apresentação da Coleção Atravessamentos Impossíveis – Inmensa Editorial

19h – A gruta da inveja: interpretação e tradução de poesia latina clássica – Raimundo Carvalho

A memória selvagem: Lima Barreto e Roberto Arlt – Fernando Salomon Bezerra

20h – O desgraçado Sr. Humano & Outros poemas anticínicos (Lobo Azul, 2022) – Anelito de Oliveira

Poematéria: Arquitetura da Palavra

A mostra explora as possibilidades da união entre as artes visuais e o texto poético, buscando superar e propor novas possibilidades para o suporte preferencial da escrita: a folha de papel.

Visitação: até o dia 15 de agosto

Terças a sextas: 9h – 20h / sábados, domingos e feriados: 9h – 17h

Local: Grande Galeria do Centro Cultural UFMG (Av. Santos Dumont, 174 – Centro – Belo Horizonte | MG)

Classificação: livre

Entrada gratuita

Vem aí a MOSTRA CAAD 2022 – 18 de julho – 19h

Texto: CAAD

Reserve este momento e venha prestigiar a Mostra de curtas metragens de animação produzidos no curso de graduação em Cinema de Animação e Artes Digitais – CAAD.
A mostra ocorrerá no dia 18 de julho de 2022 às 19:00h no Auditório Álvaro Apocalypse da Escola de Belas Artes da UFMG.
Traga sua máscara e venha prestigiar os filmes produzidos nos anos de 2020, 2021 e 2022.
Programação:
19:00 – Abertura do evento
19:20 – Exibição de Curtas metragens
Desabrochar – Isabella Santana, Julia Vasconcelos
Muda– Isabella Pannain, Arthur Possas., Rafael Assunção., Daniela Rosa, Felipe Junqueira.
Pispsqueak e Pumpernickel– Érika Parreira, Maria Clara
Floresta dos Sussurros– Amanda Lopes, Julia Fumes, Gabriela Miranda, Vitória Lucatto, Rafael T.
1000 Planos 100 din– Anelise Rodrigues, Gabrielle Curi, Samir Felipe.
Cidadão de Bem– Sávio Fernandes, André Souza, Pedro Silva, Eloá Goulart
Peixinho – Gabriel Morais, Edson Germínio, Denito Pereira.
O Mergulho – Coletivo (Filme produzido na disciplina de Animação e Música)
O Autor – Luiz Máximo
Arrepios – Gabriel Barral; Luiza Mello
Rio 2078 – Paulo Eduardo
Enquadro – Yari Delgado; Gabriel Miranda; Lucas Fuziama; Luísa Martins
Ciclo – Isadora Polatscheck; Maruey Coelho; João Garcia; Luna Costa
Queda Livre – Elber Moura; Felipe Ferreira; João Emanuel; Lucas Macedo; Luiz Brito; Maria Alice Sampaio
Projeto de jogo
‘Memo_Horizonte‘ – Beatriz Correia Campos
Nos Vemos lá!!!
Professores do Ateliê de Cinema de Animação.

Prima Facie: o design das capas de livros de artista

Texto: Divulgação

A mostra é formada por 25 livros de artista que foram selecionados pela sua capa. O nome da mostra é uma expressão em italiano usada para indicar aquilo que se pode constatar de imediato, o que é evidente, óbvio.
A curadoria da mostra tomou como ponto de partida um artigo em que o pesquisador Amir Brito procura  estabelecer uma tipologia das capas de livros, seus usos e funções: capas informativas, poéticas, expressivas ou metalinguísticas. Apresenta livros com a capa muda, sem nenhum texto, e as capas tipográficas, feitas apenas com letras; os livros cuja narrativa começa na capa, os que possuem mais de uma capa e até mesmo obras que são constituídas apenas pela sobrecapa.
 
O visitante poderá encontrar livros de Alexandre Furcolin, Alfredo Jaar, Barbara Bloom, David Horvitz, David Shrigley, Décio Pignatari, Eduardo Verderame, Emmett Williams, Eric Doeringer, Fabiana Faleiros, Fabio Morais & Daniela Castro, Flavio Trevisan, Gareth Long & Derek Sullivan, George Brecht, Guillermo Deisler, Guto Lacaz, Hans-Peter Feldmann, Jan Voss, Joachim Schmid, João Castilho, John Baldessari, Julien Nédélec, Ken Ohara, Kim Beck, Laura Gorski, Lucas Rampazzo, Luis Camnitzer, Mabe Bethônico, Marcius Galan, Marcos Walickosky, María Isabel Rueda, Mark Dion, Maurizio Nannucci, Roberto Equisoain, Silvino Mendonça, Simon Patterson, Vesna Pavlovic, Waltercio Caldas, Wlademir Dias-Pino, Yann Sérandour.
Todos os livros pertencem ao acervo da Coleção Livro de Artista, que existe há 12 anos e está na Biblioteca Universitária há 10 anos. As visitas podem ser agendadas pelo e-mail colesp@bu.ufmg.br ou pelo telefone (31) 3409-4615.
O artigo que serviu como referência para a mostra está disponível em https://periodicos.ufrn.br/artresearchjournal/article/view/24826.
A abertura da mostra acontecerá na próxima quinta-feira dia 02/06 às 10h e fica em cartaz até o dia 30/06. No encerramento da mostra, às 17h00, haverá uma conversa com o prof. Amir Brito, curador da exposição e as vitrines estarão abertas para o público manusear os livros.
Prima Facie
data de abertura 05/07 às 10h
período de exposição 05 a 21/07
horário de visitação: segunda a sexta das 8h às 21h
local: Biblioteca Universitária, Divisão de Coleções Especiais e Obras Raras – 4º andar
quantidade de obras expostas: 38 livros

Após prorrogação, mostras do Centro Cultural UFMG podem ser visitadas até agosto

Texto: Assessoria do Centro Cultural UFMG

Três exposições em cartaz no Centro Cultural UFMG tiveram prorrogado o período de sua exibição: Poematéria: Arquitetura da palavra, de João Diniz, Colônia, de Clébio Maduro, e Sobrevir, coletiva de formandos da Escola de Belas Artes da UFMG. Agora, as mostras podem ser visitadas até agosto. Com a extensão do prazo, o público poderá aproveitar o período de férias e conhecer expressivas obras de autores já consagrados e de novos talentos.

O Centro Cultural UFMG fica na avenida Santos Dumont, 174, no Centro de Belo Horizonte. A seguir, mais informações sobre as exposições em cartaz:

Poematéria – João Diniz

Exemplos de séries, ou blocos temáticos, definem a interdisciplinaridade que permeia o trabalho em exposição no Centro Cultural UFMG do arquiteto João Diniz, que traz o texto escrito materializado em objetos experienciáveis como um eixo conceitual permanente. A mostra foi aberta em 19 de maio e pode ser visitada até 15 de agosto, das 9h às 20h (terças a sextas) e 9h às 17h (sábados, domingos e feriados), na Grande Galeria, que fica no piso térreo do Centro Cultural UFMG. A entrada é gratuita.

João Diniz é arquiteto e possui escritório em Belo Horizonte, onde realiza projetos e obras nas áreas de urbanismo, arquitetura, design, cenografia e artes visuais. É professor na Universidade Fumec e palestrante em instituições acadêmicas e profissionais do Brasil e exterior. É mestre em Construção Metálica pela Universidade Federal de Ouro preto e doutorando pela UFMG.

Leia mais em reportagem neste link.

Colônia – Clébio Maduro

A mostra Colônia, do artista plástico Clébio Maduro, reúne gravuras impactantes sobre o hospital psiquiátrico que estigmatizou Barbacena, município mineiro, como ‘cidade dos loucos’ e poderá ser visitada até o dia 15 de agosto. A entrada é gratuita, com classificação indicativa não recomendada para menores de 14 anos.

A partir de um documentário que assistiu sobre a cidade e a colônia, Clébio Maduro se viu instigado a conhecer pessoalmente o primeiro manicômio de Minas Gerais e ficou sensibilizado com o que presenciou no local. Leia mais nesta reportagem.

Clébio Maduro é desenhista, gravador e ex-professor de gravura da Escola de Belas Artes da UFMG (1978-2014). De 1972 a 2020 participou de 120 exposições coletivas e 16 individuais, incluindo 59 participações em vários salões nacionais, alcançando 12 premiações.

Sobrevir – coletiva de formandos

Sobrevir, coletiva de formandos do curso de Artes Visuais da Escola de Belas-Artes da UFMG, reúne obras desenvolvidas em diversos suportes e materiais. Com temáticas notadamente marcadas pela memória e pelo ambiente familiar, a produção da mostra reflete a vivência dos formandos durante os dois anos de isolamento social decorrente da pandemia de covid.

Conforme assinalam, “Muitas das obras expostas foram elaboradas e executadas fora do ambiente da Escola de Belas-Artes e dos ateliês coletivos, com caráter intimista e mais solitário do que se via antes na trajetória dos estudantes. Trabalhos marcados pelo entorno familiar, pelo espaço ocupado durante o isolamento e pelas memórias de uma rotina que não sabíamos quando retornaria”.

A mostra, que ocupa as salas Ana Horta e Celso Renato de Lima do Centro Cultural UFMG, pode ser visitada até 7 de agosto. A entrada é gratuita e tem classificação livre. Leia mais neste link.